• VOLTAR
  • IMPRIMIR
  • ENVIAR
  • A+ A-
Workshop no Cepel promove debate sobre desafios da transmissão em HVDC

Notícias

Workshop no Cepel promove debate sobre desafios da transmissão em HVDC

14-04-2018

Os desafios operacionais do primeiro bipolo em 800 kV do Brasil e a interação entre parques eólicos e sistemas HVDC-LCC foram alguns dos principais tópicos debatidos durante o Workshop e Tutorial Transmissão em HVDC: Conceitos, Projeto e Estado da Arte. Promovido pelo CE B4 (Elos de Corrente Contínua e Eletrônica de Potência) do Cigré-Brasil, o evento foi realizado nos dias 10 e 11 de abril na Unidade Fundão do Cepel.


A cerimônia de abertura contou com a participação do diretor-geral do Cepel e coordenador do Conselho Técnico do Cigré Internacional, Marcio Szechtman; do coordenador do CE B4, engenheiro Ricardo Tenório (ONS); e do secretário do comitê, pesquisador Rogério Azevedo (Cepel).


Ao mencionar a parceria histórica entre Cigré e Cepel, o diretor do Centro mostrou-se honrado em participar da abertura de mais um evento do Comitê, particularmente do CE B4, onde desenvolve, há 35 anos, atividades técnicas.


Marcio Szechtman traçou um paralelo entre o primeiro workshop realizado sobre transmissão em HVDC, no final da década de 1990, com a participação de 12 pessoas numa pequena sala do Núcleo de Treinamento de Furnas, e o de agora, prestigiado por mais de 100 participantes. “Considero que a importância dos temas de HVDC e eletrônica de potência no sistema brasileiro seja mais ou menos proporcional a esta história. Tivemos, por praticamente 30 anos, somente o sistema de Itaipu em HVDC. Hoje, temos outro cenário, com multiplicidade de elos de corrente contínua, interação com usinas eólicas, dentre outros desafios”, complementou.


O coordenador do CE B4, Ricardo Tenório, também destacou o número de inscritos no workshop, pontuando que treinamentos são uma excelente maneira de entender e lidar com as novas tendências tecnológicas pertinentes ao sistema de HVDC no Brasil e no mundo. “Treinamento é sempre uma forma muito efetiva e eficaz de se difundir o conhecimento de tecnologias. A gestão do conhecimento é algo importantíssimo. Nossas empresas entenderam isso quando atenderam ao nosso chamado para participar deste evento”.


Sobre esta nova edição do evento, Tenório acrescentou: “Em 2007, fizemos o último tutorial e workshop devotado especificamente a sistemas de HVDC comutados pela rede (LCC). Agora trouxemos novos tópicos para discussão, como, por exemplo, modernização de instalações, eletrodos marítimos e interação entre usinas eólicas e sistemas HVDC”.


As apresentações


Realizado no primeiro dia de evento, o tutorial revisitou alguns dos principais assuntos relativos a sistemas HVDC-LCC como: conceito e filosofia de operação; componentes principais e cálculo do main circuit; filtros de harmônicos CA (desempenho e rating) e compensação reativa; coordenação de isolamento e estudos de sobretensões transitórias nos lados CA e CC; e eletrodos de terra e marítimos.

Em sua apresentação, o pesquisador do Cepel Antônio Ricardo de Carvalho abordou a origem e a história da transmissão em corrente contínua, bem como uma comparação a sistemas CA. Além disso, falou sobre os sistemas de proteção e controle do HVDC e descreveu as características da topologia CCC (Capacitor Commutated Converter).


Também palestraram no tutorial Antonio Guarini (ONS); Marcio Accioly (ONS); Fernando Cattan Jusan (Furnas); e John Graham (State Grid). Em seguida, os fabricantes – Siemens, ABB e Nari –apresentaram suas respectivas experiências na implantação do Bipolo 800 kV Xingu-Estreito, na expansão do sistema de Skagerrak (interligação Noruega-Dinamarca) e na modernização de instalações em HVDC na China.


O segundo dia de evento teve início com uma palestra sobre os desafios da operação do primeiro bipolo de ± 800 kV no Sistema Interligado Nacional, proferida por Antonio Felipe da Cunha de Aquino (ONS). O workshop também contou com apresentações sobre os mais recentes empreendimentos em HVDC-LCC (Siemens), os ensaios das válvulas dos conversores do segundo bipolo de Belo Monte (Nari) e considerações sobre a interação entre grandes parques eólicos e sistemas de transmissão em HVDC (ABB).


Uma mesa-redonda encerrou os debates técnicos do evento.