• VOLTAR
  • IMPRIMIR
  • ENVIAR
  • A+ A-
Treinamento promovido pelo Cepel contribui para futuros projetos de cooperação energética entre Brasil e Bolívia

Notícias

Treinamento promovido pelo Cepel contribui para futuros projetos de cooperação energética entre Brasil e Bolívia

24-11-2016

Pesquisadores do Cepel ministraram, no final de agosto, treinamento sobre o sistema SINV (Sistema de Inventário Hidrelétrico de Bacias Hidrográficas) a engenheiros da Empresa Nacional de Eletricidad (Ende), da Bolívia. O interesse pelo sistema desenvolvido pelo Centro se justifica, à medida que, diferentemente do que ocorre no Brasil, na Bolívia ainda não existem estudos que considerem todos os futuros possíveis aproveitamentos hidrelétricos a serem implantados dentro de uma mesma bacia hidrográfica, como explica Igor Raupp, gerente do SINV, e um dos instrutores do curso.


“O que chegaria mais próximo de um estudo de inventário, na Bolívia, seria a pré-viabilidade, mas que analisa um único aproveitamento hidrelétrico e não a bacia como um todo. Por conta disso, fizemos uma explanação sobre os estudos de inventário hidroelétrico, bem como sobre os conceitos e critérios utilizados nestes estudos”, elucida o pesquisador do Departamento de Otimização Energética e Meio Ambiente (DEA).


O treinamento se encaixa no escopo do Memorando de Entendimento firmado, em 2015, entre a Eletrobras e a Ende para atuação conjunta em temas relativos à integração elétrica e à transferência de conhecimento. No último dia 7, inclusive, o presidente da Eletrobras, Wilson Ferreira Junior, participou de uma reunião Brasil-Bolívia em Santa Cruz de la Sierra, onde foi assinado um convênio entre a empresa, a Ende e o Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF), visando dar início aos estudos para o futuro desenvolvimento de uma usina hidrelétrica binacional no rio Madeira.


A reunião contou com a participação do presidente boliviano, Evo Morales; do ministro de Minas e Energia do Brasil, Fernando Coelho Filho; do ministro de Hidrocarburos y Energía da Bolívia, Luis Alberto Sánchez; do superintendente de Operações da Eletrobras no Exterior, Pedro Jatobá; e de representantes dos ministérios de Relações Exteriores dos dois países. Durante o encontro foram firmados outros convênios de cooperação entre Brasil e Bolívia. Saiba mais.


Primeiro passo


De acordo com Raupp, o Estudo de Inventário é a primeira análise a ser realizada para decidir como será o aproveitamento do potencial hidroelétrico de uma bacia hidrográfica, ou seja, a decisão de quantos projetos são viáveis e quanto de energia cada projeto poderá gerar.


O especialista acrescenta que estes estudos têm uma importância estratégica, uma vez que as alternativas de aproveitamento do potencial hidrelétrico da bacia são analisadas sem que ainda tenha ocorrido comprometimento de recursos técnicos e financeiros em qualquer projeto específico. “É o momento de se avaliarem as sinergias e efeitos cumulativos entre benefícios e impactos dos diferentes projetos para decidir qual a melhor alternativa de aproveitamento do potencial da bacia. Esta escolha tem como objetivos maximizar a eficiência econômico-energética e minimizar os impactos socioambientais negativos, levando em consideração os impactos socioambientais positivos”, ressalta Raupp.


“A Ende – continua o especialista – demonstrou interesse em conhecer os nossos estudos para utilizá-los na Bolívia, não só para a bacia da usina binacional no rio Madeira, como também para a implantação de futuras hidrelétricas em outras bacias. [...] No decorrer do treinamento, além do SINV, falamos sobre a Avaliação Ambiental Integrada, uma das etapas dos Estudos de Inventário”.


Também ministraram o treinamento os pesquisadores Alexandre Mollica, Denise Matos, Katia Garcia, Luciana Rocha e Priscilla Chan, todos do DEA. Além de três engenheiros da Ende, participaram da atividade, realizada na Unidade Fundão do Cepel, os engenheiros da Eletrobras Roberto Leimig Filho, do Departamento de Engenharia da Geração, e Elvis da Silveira, da Área Internacional, os geógrafos do Departamento de Meio Ambiente da holding André Costa Alvarenga e Simone Garcia, e alguns outros pesquisadores do DEA.


A Ende tomou conhecimento do SINV em maio deste ano, quando representantes da estatal e de órgãos governamentais da Bolívia estiveram no Cepel para conhecer a infraestrutura laboratorial e soluções tecnológicas desenvolvidas pelo Centro para o setor elétrico brasileiro. A visita integrou a programação do workshop “Setor Elétrico Brasileiro”, promovido pela Eletrobras. Saiba mais.


SINV


O SINV é uma ferramenta de auxílio aos Estudos de Inventário Hidroelétrico de Bacias Hidrográficas. Ele é norteado pelo Manual de Inventário Hidroelétrico de Bacias Hidrográficas, cuja última revisão, em 2007, foi coordenada pelo Cepel. O objetivo deste manual é “apresentar um conjunto de critérios, procedimentos e instruções para a realização do inventário do potencial hidroelétrico de bacias hidrográficas”, que corresponde ao “potencial que pode ser técnico, econômico ou socioambientalmente aproveitado, levando-se em conta um cenário de utilização múltipla da água na bacia em estudo.”


Especificamente sobre as funcionalidades do SINV, Raupp aponta que o sistema permite representar a topologia da bacia, realizar o dimensionamento energético dos projetos, calcular o custo da energia de cada um e das alternativas de divisão de quedas, permitindo otimizá-las para que este custo não seja tão alto. “Além disso, conta com funções para calcular os impactos socioambientais negativos e positivos e realizar a análise multiobjetivo para selecionar a melhor alternativa de divisão de quedas, permitindo realizar uma análise de sensibilidade quanto a esta decisão”, destaca.


O sistema ainda permite o armazenamento das informações do estudo de inventário, o que é de grande valia para o órgão responsável pela aprovação dos estudos, no caso a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), bem como, para futuras atualizações dos estudos como os re-inventários, uma vez que armazena em um único local todas as informações.


Clique aqui para mais informações sobre o SINV.