• VOLTAR
  • IMPRIMIR
  • ENVIAR
  • A+ A-
Petrobras adere ao quadro de Associados do Cepel

Notícias

Petrobras adere ao quadro de Associados do Cepel

22-01-2018

 A Petrobras é a mais nova integrante do quadro de empresas associadas ao Cepel. O contrato de adesão, com validade por quatro anos, foi assinado em 27 de dezembro de 2017. Com a chegada da empresa, o Cepel passou a contar com 16 associados, entre Associados Fundadores e Especiais.

 

No escopo dessa adesão foi criada uma carteira de projetos específicos para a empresa, cujo andamento será acompanhado por pesquisadores do Centro de Pesquisa e Desenvolvimento Leopoldo Américo Miguez de Mello (Cenpes), o centro de pesquisas da Petrobras.

 

Entre os temas das pesquisas que serão desenvolvidas para a Petrobras estão, por exemplo: a avaliação de degradação de módulos fotovoltaicos de silício cristalino; o potencial de aplicação de tecnologias de hidrogênio, baterias de sódio e células a combustível no Brasil; e técnicas de medição indireta da eficiência de motores elétricos, além da estruturação do módulo Power Hardware in the Loop do Laboratório de Smart Grids, que o Cepel está implantando na unidade Adrianópolis. Este novo laboratório deverá entrar em operação em 2018.

 

Fundada em 1953, a Petrobras é a maior empresa do Brasil e mantém atividades em 19 países. Voltada tradicionalmente à exploração de petróleo, a empresa vem dedicando-se, nos últimos anos, a projetos de geração de energia elétrica, que incluem a participação e a operação de usinas termelétricas, eólicas e pequenas centrais hidrelétricas.

 

“O ingresso da Petrobras no quadro de associados do Cepel traz grandes oportunidades para o Centro. Além da Carteira inicialmente negociada, composta por oito projetos, o contrato de adesão prevê a possibilidade de investimentos diretos na infraestrutura laboratorial, como os estabelecidos para o laboratório de Smart Grids. Certamente, outros projetos inovadores se seguirão a essa carteira inicial, com contribuições para as atividades da empresa, e cujos resultados incrementarão ainda mais o acervo técnico do Cepel”, destacou o diretor de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação do Cepel, Raul Balbi Sollero.

 

A Diretoria do Cepel vem trabalhando para ampliar o número de instituições associadas. Além dos cinco Associados Fundadores (Eletrobras, Furnas, Chesf, Eletronorte e Eletrosul), o Cepel conta, no momento, com outros 11 Associados Especiais. O grupo é formado pelas seguintes empresas e instituições: Petrobras; Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS); Engie Brasil; Itaipu Binacional; Light; Cemig; Eletronuclear; Eletrobras Distribuição Rondônia; CGTEE (Companhia de Geração Térmica de Energia Elétrica); CEEE (Companhia Estadual de Energia Elétrica – Rio Grande do Sul); e Celesc (Centrais Elétricas de Santa Catarina).

 

Para estimular a adesão de novas empresas, o Conselho Deliberativo do Cepel aprovou, em sua 30ª Assembleia Geral, realizada dia 14 de novembro de 2017, mudanças no Estatuto do Centro. Uma delas aglutinou as antigas categorias de sócios Colaboradores e de Participantes em Associados Especiais. As empresas que faziam parte daqueles dois grupos foram convidadas a migrar para a nova modalidade.

A categoria de Associado Especial passou a ser divida em três classes conforme o volume de recursos aportados anualmente. O contrato de adesão é válido por um período mínimo de dois anos. De acordo com o volume de contribuições, as empresas podem ou não ter direito a voto no Conselho Deliberativo do Centro, onde os Associados Fundadores têm lugar cativo.

 

Os Associados passaram a ter uma série de vantagens, como a possibilidade de utilizar, como contrapartida, de 50% a 70% dos seus aportes na aquisição de produtos e serviços, como softwares, renovação das licenças para utilização de programas computacionais, na participação em cursos e eventos e na realização de ensaios, além de descontos nos seus preços originais.