• VOLTAR
  • IMPRIMIR
  • ENVIAR
  • A+ A-
Pesquisador do Cepel participará do Young Members Showcase da Bienal do Cigre em Paris

Notícias

Pesquisador do Cepel participará do Young Members Showcase da Bienal do Cigre em Paris

25-06-2018

O artigo Revestimentos Super-Hidrofóbicos para Isoladores Elétricos, escrito pelo pesquisador Arthur de Castro Ribeiro1, do Departamento de Laboratórios do Fundão (DLF), será apresentado durante a Sessão 2018 do Cigre em Paris, em agosto. O trabalho foi um dos dois selecionados, em nível global, para a sessão de discussão do SC D1 – Materials and Emerging Test Techniques, do Young Members Showcase (YMs), que acontece durante a Bienal, principal evento internacional do setor elétrico.

 

A primeira edição do YMs foi realizada na Bienal de 2016, quando 22 sócios individuais com menos de 35 anos de 14 países diferentes foram selecionados para apresentar seus respectivos trabalhos técnicos. O objetivo do YMs é proporcionar a jovens membros do Cigre ao redor do mundo oportunidade para mostrar seu talento e impulsionar sua carreira. Esta é uma ação do Cigre para incentivar o crescimento profissional de seus jovens associados, futuros especialistas no setor.

 

Na atual edição, o Central Office do Cigre separou quatro vagas para o Brasil, duas prioridades e duas reservas. Arthur foi o primeiro colocado na criteriosa seleção nacional, feita de forma cruzada por um grupo de especialistas do Cigre-Brasil, indicando quatro candidatos dentre 16. Os candidatos passaram, então, por uma seleção no respectivo Study Committee (SC) internacional, e o trabalho do Arthur foi um dos priorizados.

 

Membro do CE D1 há menos de um ano, Arthur ficou honrado com a indicação. “É muito gratificante ter um trabalho reconhecido, não somente internamente pelo Cepel, como também externamente pelo Cigre. Acredito que essa oportunidade possa contribuir bastante para o meu crescimento profissional. Será excelente para trocar experiências que irão contribuir para a evolução e melhoria dos projetos dos quais participo aqui no Centro”, comenta, acrescentando esperar que as demais apresentações da YMs sirvam também de inspiração para novos trabalhos.

 

“Consideramos que o fato do Arthur ter aceitado ser o candidato do CE D1 para esta seleção nacional já demonstrou o quanto ele está disposto para desafios e para engajamento nas atividades do CE D1 e do Cigre, que tem atividades em comum com as desenvolvidas pelo pesquisador no Cepel. Ele ter sido escolhido como um dos dois brasileiros prioritários, entre os quatro pré-selecionados nos trouxe enorme satisfação”, destacou a coordenadora do CE D1 do Cigre-Brasil, Adriana de Castro Passos Martins.

 

Sobre o trabalho técnico

 

Integrante da equipe do Laboratório de Química do Cepel, Arthur desenvolve pesquisas sobre novos materiais, principalmente materiais poliméricos contendo nanotecnologias, como nanocompósitos para isolamento elétrico e revestimentos nanoestruturados. Ele fala sobre o trabalho que será apresentado, cujo andamento vem contando com a contribuição de muitos pesquisadores e técnicos do Cepel, em especial Ricardo Wesley Garcia (DLE2), José Geraldo de Melo Furtado (DME3), Luiz Alberto Ferreira da Silva (DLF), Cristina da Costa Amorim (DME) e Marcos Martins de Sá (DLF).

 

“A ideia dessa pesquisa surgiu em uma das reuniões do projeto Nanotecnologias no Setor Elétrico, quando o pesquisador Ricardo Wesley Salles Garcia (DLE), especialista na área de isoladores, salientou a necessidade de se estudar mais a fundo a aplicabilidade de revestimentos super-hidrofóbicos em isoladores de vidro e de porcelana, uma vez que poucos estudos haviam sido feitos até então sobre o tema e ainda se carecia de maior compreensão sobre essa tecnologia para aplicações no setor elétrico. No segundo semestre de 2015, iniciaram-se os primeiros estudos da tecnologia aqui no Cepel que acabaram se transformando em um projeto em 2017”.

 

De acordo com Arthur, os revestimentos super-hidrofóbicos vêm sendo apontados como uma solução mais eficaz do que os tradicionais revestimentos RTV para evitar falhas prematuras em isoladores de vidro ou de porcelana, quando expostos em ambiente de elevada contaminação. “Apesar de possuírem melhor resistência ao intemperismo e a descargas parciais do que os isoladores poliméricos, esses isoladores de vidro e de porcelana possuem limitações quanto à sua operação em ambientes com nível de poluição elevado devido à hidrofilicidade (atração por água) de sua superfície, que pode originar caminhos condutivos superficiais e gerar falhas elétricas como arcos de banda seca e flashover. A utilização de revestimentos super-hidrofóbicos, portanto, teria a capacidade de impedir a formação desses caminhos superficiais e diminuir a ocorrência de falhas prematuras em linhas de transmissão e distribuição de energia, aumentando, assim, a confiabilidade dos isoladores de vidro e de porcelana”, assinala.

 

Atualmente, as atividades de pesquisa do projeto buscam a compreensão do impacto dos componentes de revestimentos super-hidrofóbicos nas suas propriedades e envolvem o desenvolvimento e as caracterizações químicas, elétricas, morfológicas e mecânicas desses revestimentos.

 

___________________________________________________________

1Superhydrophobic Coatings for Electrical Insulator; A.C. Ribeiro, B. G. Soares, J. G. M. Furtado, A. Polasek, A. C. P. Martins, R. W. S. Garcia, L. A. F. Silva
2Departamento de Linhas de Transmissão e Equipamentos
3 Departamento de Materiais, Eficiência Energética e Geração Complementar