• VOLTAR
  • IMPRIMIR
  • ENVIAR
  • A+ A-
Pesquisador do Cepel participa de evento de supercondutividade em Xangai

Notícias

Pesquisador do Cepel participa de evento de supercondutividade em Xangai

15-07-2018

Recentemente, através do apoio do Cigré-Brasil, o pesquisador Alexander Polasek, do Departamento de Materiais, Eficiência Energética e Geração Complementar (DME), esteve em Xangai, China, para participar de um amplo evento do Cigre Internacional. O evento contou com workshop sobre tecnologias supercondutoras, reuniões dos Working Groups (WGs) D1.64 e D1.69 e visitas técnicas.


De acordo com Polasek, as atividades desenvolvidas nos WGs D1.64 e D1.69 - que tratam, respectivamente, de isolamento elétricos de materiais e equipamentos supercondutores, e procedimentos de ensaios e testes (incluindo instalações na rede) - estão fortemente relacionadas ao trabalho desenvolvido pelo Cepel na área de aplicação de supercondutores. “Nestes WGs, além da troca de experiências, fazemos um levantamento do estado da arte das tecnologias. Desse modo, podemos identificar os principais gaps de conhecimento que precisam de mais pesquisas”. O pesquisador acrescenta: “Coordeno a elaboração do Capítulo 2 da brochura técnica do WG D1. 64 e colaboro, no D1.69, nos temas limitadores de corrente e cabos supercondutores, focos de nossas pesquisas aqui no Centro”.


Workshop e visitas técnicas


Polasek apresentou dois trabalhos no “Joint Workshop on High Temperature Superconducting Power Apparatus and Systems”, promovido em conjunto pelos WGs D1.64 e D1 69 e pelo IEC/TC90, comitê técnico do IEC dedicado ao desenvolvimento de normas para supercondutores; “Lab and Field Testing of Resistive Superconducting Fault Current Limiters” e “Dielectric Properties of Insulation Materials at Cryogenic Temperatures”.


A apresentação sobre limitadores de corrente supercondutores enfatizou ensaios e testes em escala real, em laboratórios e instalações na rede elétrica. “No Laboratório de Alta Corrente do Cepel, já conduzimos diversos ensaios de componentes limitadores de corrente supercondutores.Tais ensaios foram fundamentais para compreendermos estes dispositivos e os procedimentos de ensaio, bem como para o desenvolvimento e validação de modelos computacionais que, hoje, são reconhecidos internacionalmente”, pontua Polasek.


Já a palestra sobre isolantes tratou, segundo o pesquisador, de um ponto essencial para aplicações, refletindo o trabalho que está realizando no WG D1.64, onde tem contato com alguns dos maiores especialistas no assunto. “Estamos levantando dados e informações fundamentais para nossos projetos nesta área no Cepel, bem como para qualquer aplicação da supercondutividade no setor elétrico”, assinala.


A programação incluiu visitas técnicas ao Shanghai Electric Cable Research Institute (Secri) e à Shanghai Superconductor Technology Co. O Secri é o centro de referência de P&D de fios e cabos da China. O instituto atende à cadeia produtiva de cabos de transmissão e distribuição do país e também desenvolve cabos supercondutores. “A visita foi muito proveitosa, pois o desenvolvimento de cabos com maior ampacidade, sejam eles supercondutores ou ‘convencionais’, é de interesse para o Cepel e o setor elétrico. No caso da visita à Shanghai Superconductor Technology também, pois a empresa produz e comercializa fitas supercondutoras de segunda geração, o principal material de nossas pesquisas nessa área”, conclui Polasek.