• VOLTAR
  • IMPRIMIR
  • ENVIAR
  • A+ A-
Cepel participa de reunião promovida pelo Consulado Geral do Canadá

Notícias

Cepel participa de reunião promovida pelo Consulado Geral do Canadá

12-07-2018

O pesquisador Francisco da Costa Lopes, do Departamento de Materiais, Eficiência Energética e Geração Complementar (DME), representou o Cepel em reunião promovida pelo Consulado Geral do Canadá com instituições canadenses e brasileiras. O encontro foi realizado no dia 18 de junho no Rio de Janeiro, aproveitando a participação da delegação canadense na World Hydrogen Energy Conference (WHEC), e teve como objetivo favorecer o estreitamento de laços entre as empresas e estabelecer possíveis colaborações técnicas.


“Ciente de que o Cepel desenvolve linhas de pesquisa relacionadas a células a combustível e hidrogênio, a gerente de Desenvolvimento de Negócios do Consulado na área de Energia Elétrica, Laura Tarouquela Neto, convidou-nos a participar da reunião. Substitui o pesquisador José Geraldo de Melo Furtado, também do DME, que não pôde comparecer ao evento”, explica Francisco.


Na oportunidade, o pesquisador apresentou alguns dos projetos em que o Laboratório de Células a Combustível (LabCelComb) do Centro está envolvido, a exemplo do Projeto Institucional H2ITAIPU, realizado em parceria com a Eletrobras, Itaipu Binacional e Fundação Parque Tecnológico Itaipu (FPTI). “Este projeto tem como foco o armazenamento de energia a partir do aproveitamento da energia excedente [denominada energia vertida turbinável] da usina de Itaipu para conversão em hidrogênio [comumente denominado na literatura como Power-to-Gas system]. A planta-piloto de produção de hidrogênio de Itaipu já está em funcionamento, e o Cepel tem mantido forte colaboração técnica com a equipe técnica da FTPI e Itaipu”, assinala o pesquisador.


Um dos resultados desta colaboração, segundo Francisco, é o estudo de viabilidade técnico-econômica de uma planta de armazenamento de energia baseada em hidrogênio. “Em fase final de elaboração, o estudo foi desenvolvido a partir dos dados operacionais da planta-piloto de Itaipu e se propõe demonstrar que um sistema Power-to-Gas baseado em hidrogênio é viável e pode solucionar muitos dos problemas atuais de falta de armazenamento, tanto localmente, como no âmbito do Sistema Interligado Nacional”, afirma o pesquisador.


O pioneirismo do Cepel na área é destacado pelo pesquisador José Geraldo. “Podemos citar o projeto CelComb, do Ciclo P&D Aneel 2002/2003 executado para a Chesf, que deu origem ao Laboratório de Células a Combustível, sendo uma das primeiras iniciativas no Brasil acerca da avaliação de tecnologias de células a combustível [CaC] para aplicações de Geração Distribuída”.


Possibilidade de parcerias


Sobre a relevância de interação com as instituições canadenses, Francisco Lopes ressalta: “O Canadá é um dos líderes mundiais não somente na pesquisa relacionada a tecnologias do hidrogênio, como também na indústria de equipamentos de produção e conversão de hidrogênio, como eletrolisadores e células a combustível. Os representantes das empresas e centros de pesquisa canadenses presentes na reunião demonstraram forte interesse em estabelecer parcerias com o Cepel ao tomarem conhecimento das linhas de pesquisa em que atuamos”.


O pesquisador assinala que a University of British Columbia possui um centro de pesquisas em energia limpa, o Clean Energy Centre, e que o diretor deste centro, professor Walter Mérida, manifestou interesse por parte da instituição no trabalho desenvolvido pelo Cepel na área de hidrogênio e células a combustível, com perspectivas de colaboração técnica futura.


World Hydrogen Energy Conference (WHEC)


A 22ª edição da World Hydrogen Energy Conference (WHEC) foi realizada entre 17 e 22 de junho no Rio de Janeiro. A WHEC é o congresso mundial de referência na área de energia do hidrogênio, onde especialistas se reúnem para apresentar os progressos nas diversas linhas de pesquisa relacionadas, tais como armazenamento de energia com hidrogênio e integração com fontes renováveis, células a combustível e veículos elétricos alimentados a hidrogênio.


Este ano o congresso contou com cerca de 800 participantes e teve o patrocínio de Eletrobras, Furnas, Petrobras, Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) e de diversas empresas estrangeiras, incluindo os maiores fabricantes mundiais de células a combustível. O pesquisador Francisco Lopes participou do evento como ouvinte.