• VOLTAR
  • IMPRIMIR
  • ENVIAR
  • A+ A-
Cepel participa de comissionamento de Subestações Isoladas a Gás do sistema TESB

Notícias

Cepel participa de comissionamento de Subestações Isoladas a Gás do sistema TESB

18-05-2017

A equipe do Laboratório de Diagnóstico de Equipamentos (Labdig), vinculado ao Departamento de Linhas e Estações (DLE) do Cepel, realizou avaliação, pela metodologia acústica, nas novas SIGs (Subestações Isoladas a Gás SF6) operadas pela TESB – Transmissora Sul Brasileira de Energia. O trabalho, que requer a energização da SIG através de uma fonte de alta tensão ressonante, foi executado em duas etapas: a primeira, em dezembro de 2016 na subestação de 230 kV, e a segunda, em março deste ano, na subestação de 69 kV - pouco antes de as SIGs entrarem em operação no Rio Grande do Sul.

 

“Após as medições pela metodologia acústica para avaliar as condições operativas da SIG e a possibilidade de descargas parciais nas instalações, a TESB e a Procable realizaram ensaios de tensão aplicada em diversos níveis de tensão e intervalos de tempo diferenciados, verificando, assim, se a instalação suportaria tais solicitações dielétricas em tensões superiores à nominal em intervalos de tempo preestabelecidos por norma”, explica Leonardo Torres Bispo dos Santos, pesquisador do DLE.

 
Torres, que integrou as equipes em ambas as etapas do trabalho, apontou que, após as avaliações, apenas na subestação de 230 kV foram identificados sinais diferentes do padrão de ruído de fundo indicado como normalidade operativa da SIG, porém de baixa criticidade. “O Cepel, então, recomendou o acompanhamento dos sinais após a energização em definitivo da SIG”, acrescenta o especialista.

 

Participaram das atividades, na subestação de 230 kV, os pesquisadores André Tomaz de Carvalho e Helio de Paiva Amorim Júnior. Das medições realizadas na subestação de 69 kV, participaram os pesquisadores Dickson Silva de Souza e Rômulo dos Santos Delgado e o técnico Roberto Campos de Menezes.


Estiveram envolvidas nos trabalhos a CEEE-GT (Companhia Estadual de Energia Elétrica do Rio Grande do Sul – Geração e Transmissão), acionista da TESB, e a Procable Energia e Telecomunicações S.A., principal empresa executora da obra e responsável pelo comissionamento das SIGs.


Ao término das medições, profissionais da CEEE-GT e da Procable agradeceram a participação do Cepel, manifestando a certeza de que dispunham de mais subsídios para gestão e acompanhamento das SIGs após sua entrada em operação e conexão ao Sistema Interligado Nacional (SIN).

 

Técnica de Emissão Acústica


A técnica de emissão acústica é uma ferramenta preditiva e não invasiva de diagnóstico. Foi adaptada ao setor elétrico para avaliação de equipamentos de potência e subestações. “Trata-se de uma técnica já consolidada que é baseada na captura das vibrações mecânicas provenientes de defeitos internos aos equipamentos através de sensores acústicos piezoelétricos do tipo ressonantes que atuam como transdutores, convertendo ondas de pressão decorrentes de fenômenos de naturezas diversas em sinais elétricos”, esclarece Leonardo Torres.


Uma grande vantagem da metodologia acústica aplicada a sistemas elétricos de potência e equipamentos, segundo o pesquisador, é o fato de não ser invasiva e, portanto, não haver a necessidade de desligamento dos ativos. Além disso, permite a localização da fonte defeituosa ao longo da instalação através de softwares ou pela análise de sensibilidade da variação dos parâmetros ao longo dos compartimentos da SIG durante as medições.