• VOLTAR
  • IMPRIMIR
  • ENVIAR
  • A+ A-
Assistente da Diretoria do Cepel é o novo secretário-executivo do Bracier

Notícias

Assistente da Diretoria do Cepel é o novo secretário-executivo do Bracier

21-07-2017

O Bracier – Comitê Brasileiro da CIER (Comissão de Integração Energética Regional) tem um novo secretário-executivo. O engenheiro João Guedes de Campos Barros, assistente da Diretoria de Laboratórios e Pesquisa Experimental do Cepel, é o novo titular do cargo. João Barros substitui o também engenheiro Antonio Carlos Marques de Menezes, que agora é secretário-executivo adjunto do Bracier, órgão presidido por Wilson Ferreira Junior, presidente da Eletrobras. O nome de Barros foi indicado pelo diretor-geral do Cepel, Marcio Szechtman.


Organização não governamental criada em 1966, o Bracier tem por objetivo promover a integração e a segurança eletroenergética na área de atuação da CIER, fomentando e coordenando as iniciativas de empresas e instituições a ele afiliadas.

 

 
O Bracier é o braço brasileiro da CIER, organização criada em 1964, com o intuito de promover a integração energética regional entre empresas e países, incentivar o intercâmbio de conhecimentos técnicos, estimular e possibilitar a troca de informações. Sediada em Montevidéu, a CIER congrega cerca de 260 empresas e instituições e possui comitês em 15 países das américas do Sul e Central, Caribe e no México.


A mudança na Secretaria-executiva do Bracier, entretanto, não é a única novidade. O Comitê está de casa nova. Em meados de junho, a sede da instituição passou a funcionar na Unidade Fundão do Cepel.


“A vinda do Bracier para o prédio do Cepel foi uma decisão da Eletrobras e tem por objetivo criar uma maior sinergia entre o Comitê e o Centro”, afirmou João Barros, ao final do evento de apresentação das atividades do Bracier para chefes de departamento e gerentes do Cepel, realizado dia 14 de julho.


Durante o encontro, o secretário-executivo adjunto, Antonio Menezes, apresentou a estrutura e um histórico do Bracier, e falou sobre as principais atividades e eventos promovidos pela organização. “O Comitê conta com 32 empresas e instituições afiliadas, entre elas o Ministério de Minas e Energia (MME), o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), a Eletrobras e o Cepel”, explicou Menezes, que atua na área internacional da Eletrobras.

 

 

O Bracier promove estudos, projetos e cursos nas áreas de geração, transmissão, distribuição, comercialização, práticas comerciais de distribuição e corporativa. O Comitê mantém grupos de trabalho e desenvolve projetos em cada um desses segmentos. Entre os projetos citados por Menezes, estão os estudos de benchmarking de usinas de geração de energia elétrica, de operação de sistemas, de integrações bilaterais e sub-regionais e de qualidade dos serviços de distribuição.


O Comitê também realiza eventos de intercâmbio e difusão tecnológica com regularidade. Nos dias 28 e 29 de agosto, promoverá em parceria com o Cepel, na Unidade Fundão, o workshop Perspectivas de Cooperação Regional para o Desenvolvimento da Energia Eólica na América Latina – Potencial Técnico-Econômico de Geração.