• VOLTAR
  • Imprimir
  • ENVIAR
  • A+ A-
Webinar marca abertura de consulta pública sobre validação de aprimoramentos no modelo SUISHI

Detalhes: Notícias

Webinar marca abertura de consulta pública sobre validação de aprimoramentos no modelo SUISHI

14-05-2020

No dia 07 de maio, o Grupo de Trabalho Metodologia da Comissão Permanente para Análise de Metodologias e Programas Computacionais do Setor Elétrico (CPAMP), coordenado pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE), realizou webinar com os agentes e principais instituições do setor elétrico brasileiro para divulgação dos aprimoramentos no modelo SUISHI, desenvolvido pelo Cepel. Durante o evento, o pesquisador do Centro Fabio Rodrigo Siqueira Batista, gerente da equipe de desenvolvimento do SUISHI, apresentou as novas funcionalidades do modelo para os agentes participantes.


O webinar marcou o início da consulta pública aberta pelo Ministério de Minas Energia (MME), no último dia 04 de maio, com o objetivo de receber contribuições para a aprovação do modo de simulação para cálculo de Energia Firme da versão 13.8.4 do modelo, e contou com mais de 60 participantes. O GT Metodologia conta com a participação do MME, da EPE, da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) e do Cepel.


O modelo SUISHI é usado oficialmente pelo setor elétrico brasileiro para o cálculo da Energia Firme das usinas hidrelétricas (UHEs) do Sistema Interligado Nacional (SIN) e teve aprimoramentos validados no âmbito do GT Metodologia da CPAMP, em processo que se estendeu de 26 de agosto de 2019 até 07 de abril de 2020. Cabe destacar que, para o segundo semestre de 2020, está previsto o início do processo de validação do modo de simulação hidrotérmica do modelo SUISHI, também utilizado por agentes e instituições setoriais.

 

Como assinala Fabio Batista, a Energia Firme é um dos parâmetros empregados no cálculo da Garantia Física de Energia das UHEs, que, por sua vez, representa o maior montante de energia que uma usina pode vender via contratos bilaterais. “Até o momento, a versão 13 do modelo SUISHI vem sendo oficialmente empregada para este propósito. A versão 13.8.4, colocada em consulta pública e que posteriormente passará a ser chamada versão 14, representa um avanço em relação à versão 13”. Ele explica por quê:


“Esta versão passa a considerar as regras especiais de operação das usinas localizadas na bacia do Rio São Francisco, definidas pela Resolução ANA no 2.087, de 04 de dezembro de 2017, cuja aplicação entrou em vigor em 01 de maio de 2019. Passa a considerar, também, diferentes famílias de polinômios vazão x nível de jusante para o cálculo da cota do canal de fuga dos reservatórios de usinas hidrelétricas. “Famílias” estas que são definidas pelo Grupo de Trabalho de Dados de Produtibilidade, coordenado pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS). Além disso, apresenta a modelagem para a operação separada das UHEs Ilha Solteira e Três Irmãos e a compatibilização com a versão 27 do modelo de otimização energética NEWAVE, também desenvolvido pelo Cepel e de uso oficial pelo sistema elétrico brasileiro”.


Além de Fábio, integram a equipe de desenvolvimento do modelo SUISHI os pesquisadores do Cepel Maria Elvira Piñeiro Maceira, Valk Luis de Oliveira Castellani e Ana Carolina Peçanha, além do colaborador Rafael Rates Olasagasti.


A consulta pública relativa aos aprimoramentos propostos pela CPAMP (ciclo 2019-2020) no Programa SUISHI receberá contribuições até o dia 3 de junho, por meio do ambiente de consultas públicas do Ministério de Minas e Energia. Clique aqui, para acessá-la.