• VOLTAR
  • Imprimir
  • ENVIAR
  • A+ A-
Sistema desenvolvido pelo Cepel terá papel central na unificação das bases de dados de fluxo de potência e curto-circuito do ONS

Detalhe: Notícias

Sistema desenvolvido pelo Cepel terá papel central na unificação das bases de dados de fluxo de potência e curto-circuito do ONS

01-04-2019

No último dia 15, o Cepel  fez uma apresentação sobre o SIGER  (Sistema de Gestão de Dados de Redes Elétricas) a seus futuros usuários no Escritório Central do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) no Rio de Janeiro.  Desenvolvido especificamente para o ONS, o sistema tem como objetivo a manutenção de uma base de dados unificada de topologia e parâmetros do Sistema Interligado Nacional (SIN), inicialmente para estudos  de fluxo de potência e curto-circuito.

 

O gerente de Engenharia de Instalações do ONS, o engenheiro Adriano de Andrade Barbosa, explica em que contexto o SIGER foi desenvolvido e sua relevância para o ONS. Segundo ele, neutralidade, transparência e equidade são condições básicas para a execução das atividades do Operador. Para o atendimento desses requisitos, as informações de responsabilidade dos agentes e do ONS devem ser mantidas em meios tais que possam ser, a qualquer momento, recuperadas, divulgadas e reproduzidas. 

 

“No entanto, os estudos elétricos realizados no ONS ainda não contavam com um sistema computacional plenamente ajustado às necessidades do ponto de vista de aquisição de dados, de modo que esses estudos fossem realizados em ambiente integrado associado a uma base de dados unificada e atualizada. Tal desafio compreendeu o desenvolvimento pelo Cepel de um novo sistema de gestão da base de dados para estudos de fluxo de potência e de curto-circuito, o SIGER, considerando as ferramentas de simulação utilizadas pelo ONS”, esclarece Barbosa.

 

De acordo com o engenheiro, a integração dessas bases de dados é necessária para eliminar divergências de modelagem e facilitar o seu uso pelos analistas de sistemas elétricos do ONS, agentes associados, centros de pesquisa, universidades etc.  “Ademais,  essa integração permitirá aperfeiçoar a atuação do ONS como gestor de redes. A uniformização da numeração e da nomeação de barras e a compatibilização da topologia e dos parâmetros elétricos para os estudos de fluxo de potência e curto-circuito agregarão aumento de qualidade, confiabilidade e consistência às análises e, consequentemente, aos resultados obtidos. O SIGER é um marco no setor e contribui para assegurar a capacidade de atuação do ONS como integrador técnico e gestor da operação do SIN”, complementa.

 

 

Inovação

 

O SIGER  foi entregue ao ONS em dezembro de 2018, após 18 meses de desenvolvimento. Participaram do projeto os pesquisadores Flávio Rodrigo de Miranda Alves, chefe do Departamento de Redes Elétricas (DRE) do Cepel, Juan Rossi (DRE), Leonardo Almeida (DRE), Luiz Antônio Oliveira (DRE) e Sergio Porto Roméro (DRE), e os colaboradores Felipe Villela e Anderson Oliveira.

 

 “Uma característica inovadora do SIGER é a implementação de uma dimensão temporal da base de dados, permitindo que um equipamento possua mais de uma representação, desde que não haja superposição destas representações no tempo”, assinala Flávio Alves.

 

Desenvolvido como uma aplicação web, o sistema também permite a consulta à sua base de dados diretamente, através dos programas Anarede (Análise de Redes Elétricas) e Anafas (Análise de Faltas Simultâneas), ambos desenvolvidos pelo Cepel.  “A intenção é  expandir o SIGER para efetuar a gerência de outros conjuntos de dados, como transitórios eletromecânicos e harmônicos”, acrescenta o chefe do DRE.

 

Durante a apresentação do sistema no ONS, foram demonstradas as principais características do SIGER e antecipados alguns tópicos que serão aprofundados no treinamento programado para abril. Profissionais de diferentes áreas do ONS estiveram presentes no encontro.