• VOLTAR
  • Imprimir
  • ENVIAR
  • A+ A-
Programa de ondas de retorno do Cepel: gradual e seguro

Detalhes: Notícias

Programa de ondas de retorno do Cepel: gradual e seguro

24-08-2020

O Cepel entrou, no último dia 17, na terceira etapa de retorno ao trabalho presencial. As anteriores ocorreram em 06 e 27 de julho. Para garantir a segurança e o bem-estar dos colaboradores neste regresso, todas as tomadas de decisão basearam-se em três pilares: atenção à saúde, avaliação permanente da situação no município do Rio de Janeiro (e entorno) e comunicação continuada e transparente. As medidas adotadas foram amplamente discutidas entre Diretoria e áreas estratégicas da instituição na “Sala de Situação”, criada em 16 de março, e estão alinhadas não só com as determinações governamentais e autoridades de saúde, mas, também, com as diretrizes do Comitê de Crise das empresas Eletrobras.

 

Com esta terceira onda, estão, atualmente, em trabalho presencial 114 colaboradores, 18% da força do trabalho do Cepel. O restante permanece em teletrabalho, modalidade esta que não prejudicou o cumprimento da maior parte dos compromissos assumidos pelo Centro para com seus associados, clientes e parceiros. Até mesmo nos momentos mais críticos da pandemia, resguardados todos os cuidados, o Centro prestou apoio técnico em diversas situações emergenciais. No escalonamento para o trabalho presencial, vêm sendo considerados não somente a análise de gradação de risco em relação à pandemia, como também os aspectos sociais inerentes a cada empregado (filhos em idade escolar ou algum aspecto próprio ou familiar de saúde) e a necessidade de interação presencial para realização das atividades.

 

“Ratificamos o comprometimento do Cepel para com a saúde e bem-estar de todos os nossos colaboradores. Postergamos, ao máximo, a volta ao trabalho presencial, e só demos início a este processo quando nos asseguramos de que havíamos cumprido todas as exigências sanitárias para a garantia de um ambiente de trabalho o mais seguro possível em se tratando da prevenção ao novo coronavírus. É claro que, para que este regresso seja bem-sucedido, também precisamos contar com a colaboração individual de todos os envolvidos”, afirma a Diretoria Executiva do Cepel, composta pelos diretores Amilcar Guerreiro, Maurício Barreto Lisboa, Orsino Borges de Oliveira Filho e Consuelo Garcia.

 

Os diretores ressaltam que boa parte da força de trabalho que já retornou está envolvida em atividades laboratoriais. Atividades estas de grande importância para o setor elétrico brasileiro. E acrescentam: “não obstante todo esse trabalho, as medidas protetivas estão em constante evolução, com base na experiência que vem sendo acumulada com o retorno gradual e a o avanço do conhecimento científico sobre a doença e seu modo de transmissão, processo para o qual o Cepel está atento, assim como está atento à evolução dos indicadores sobre a evolução da doença na região onde o Cepel atua (Rio de Janeiro)”.

 

Desde o início da pandemia de Covid-19, o Cepel faz um acompanhamento cuidadoso da saúde dos empregados, por meio de um questionário diário e sua avaliação junto ao prontuário médico de cada um. Este trabalho deverá ser reforçado com o aprimoramento da ferramenta digital “DSS Transform”, ainda em fase de testes. Em parceria com as empresas Elebrobras, o Centro também implantou a Rede de Atendimento Psicossocial e realizou campanha de vacinação contra a gripe, extensiva a todos os beneficiários.

 

“O Cepel está amplamente preparado para o retorno dos seus empregados ao ambiente de trabalho, com ações de prevenção à propagação do vírus. As medidas de biossegurança, como o distanciamento, o uso correto das máscaras com trocas regulares, a higienização periódica das mãos, são formas de nos protegermos e protegermos as pessoas próximas”, ressalta a Dra. Maria Mitsu Soares Ikuta, médica responsável pela área de Saúde do Centro. Ela pontua que os novos hábitos no ambiente de trabalho, transportes, comércio e convívio social levarão algum tempo até serem consolidados. “Precisamos manter atenção permanente aos mínimos detalhes. Não podemos relaxar as medidas de biossegurança, mesmo já estando imunizados para a COVID-19. Todas essas medidas nos darão tranquilidade até que a vacina para Covid-19 seja aplicada maciçamente na população”, complementa.


Para embasar e viabilizar o trabalho presencial em suas duas unidades – Fundão e Adrianópolis - , o Cepel elaborou um minucioso Plano de Retorno, com orientações e medidas preventivas totalmente aderentes à Portaria Conjunta nº 20/2020, editada pelo Ministério da Saúde e pela Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia. O Plano foi amplamente divulgado, e os colaboradores puderam submeter sugestões para serem incorporadas ao documento.

 

O Centro adquiriu Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), termômetros para medição diária da temperatura, dispensers de álcool em gel, máscaras sociais e descartáveis, bem como testes rápidos, reaplicados a cada 14 dias em profissionais assintomáticos. Se testado positivo, o colaborador fica impedido de circular pelas dependências do Centro, que providencia seu retorno seguro à residência, e passa a ter o contínuo acompanhamento por parte da área de Saúde da instituição. Até 20 de agosto, foram aplicados 1.548 testes rápidos para Covid-19 nas Unidades Fundão e Adrianópolis: 381 em empregados efetivos e o restante, em profissionais de empresas que prestam serviços nas unidades do Cepel.

 

 

Além disso, em alinhamento com as orientações de instituições de pesquisa na área da saúde nacionais e internacionais, o Cepel vem garantindo a renovação periódica do ar em suas duas unidades, providenciou a desinfecção das instalações e realizou um intenso trabalho de sinalização, visando a garantir o distanciamento de 1,5 m entre os profissionais, e a reforçar as demais regras de comportamento e cuidados com equipamentos e ambiente, necessárias à não disseminação do novo coronavírus.


“A integração entre as equipes, o comprometimento, a proatividade e a comunicação estão dando o tom desse momento. Se somos diferentes, o nosso diferencial está no altruísmo com o qual nossas equipes estão atuando, o que é motivo de orgulho para todos nós. Os desafios têm sido enfrentados com a realização de ações que possibilitem a atuação segura de todos, visando à sustentabilidade da instituição e ao bem comum”, destaca Lúcia Lima, chefe do Departamento de Logística e Operações e da Atividade de Qualidade.

 

Restaurantes e roteiros - cuidado redobrado


Somente em 10 de agosto, quando o serviço dos restaurantes nas duas unidades do Centro foi restabelecido, em total alinhamento com as determinações da Anvisa, o expediente para aqueles em trabalho presencial foi normalizado. Anteriormente, o horário estava reduzido (8 h às 14h), com intervalo de 15 minutos, e abono gerencial de horas não contempladas.

 

Os restaurantes das Unidades Fundão e Adrianópolis foram totalmente adaptados para garantir o distanciamento mínimo de 1,5 m entre os colaboradores e o cumprimento das medidas de higiene preconizadas.

 

Na Unidade Adrianópolis, em virtude da dificuldade de acesso, ônibus e vans que fazem o transporte dos colaboradores já haviam sido disponibilizados em ondas anteriores. Na Unidade Fundão, apenas três deles ainda não foram restabelecidos. Os usuários ativos destes transportes têm como alternativa o reembolso por quilometragem por uso de veículo próprio ou o reembolso para transportes alternativos. Todos os roteiros estão operando com, no máximo, 50% da capacidade para evitar aglomeração e manter o distanciamento mínimo de 1,5 m. Além disso, são obrigatórios o uso de máscara, a higienização das mãos e a ventilação no interior dos veículos.

 

 


Interação continuada


As ações realizadas pelo Cepel têm sido reforçadas por uma constante comunicação com os colaboradores, tanto por meio de campanhas de conscientização, divulgação de matérias, boletins e comunicados, quanto pela realização de webinars da Diretoria Executiva. Até o momento, já foram realizados seis eventos do gênero, com ampla participação dos colaboradores, que os consideram ótima oportunidade para um maior detalhamento sobre as medidas adotadas e para dirimir dúvidas.

 

Para citar um exemplo, participaram do último webinar, em 13 de agosto, 280 colaboradores. Ao final do evento, como de praxe, uma pesquisa avaliou a opinião dos participantes. Do total de respondentes, a grande maioria, 84%, relatou ter ficado entre satisfeita ou muito satisfeita com o conteúdo apresentado, e 91% assinalaram que o evento foi esclarecedor ou muito esclarecedor quanto à retomada escalonada do trabalho presencial, tema recorrente em webinars anteriores. Perguntados sobre o Plano de Retorno, amplamente divulgado, 89% manifestaram ter um bom ou ótimo entendimento do documento. As respostas reiteram a efetividade da tomada de decisões por parte da Diretoria e o valor de uma comunicação direta e transparente dos gestores com os colaboradores.

 

 

Fabio Augusto da Silva, pesquisador responsável pelo Laboratório de Alta Corrente, em Adrianópolis, explica que devido à necessidade de atender a demandas essenciais, retomou as atividades presenciais um pouco antes do início das ondas de retorno. Mas, mesmo neste retorno prematuro, sempre houve uma atenção muito grande por parte do Cepel com os cuidados referentes à contaminação por Covid-19. “No primeiro dia, antes da entrada no laboratório, realizamos a medição de temperatura e o teste rápido para verificar a infecção por Covid-19. Desde o início, recebemos várias orientações a respeito de distância entre colegas e outras maneiras de minimizar a chance de contaminação. Além disso, começamos com equipe e expediente reduzidos, o que contribuiu para a nossa proteção”. O pesquisador observa que as medidas de mitigação da contaminação não relaxaram. Ao contrário, foram intensificadas à medida que mais pessoas foram retornando.

 

O pesquisador Ary Vaz, chefe do Departamento de Materiais, Eficiência Energética e Geração Complementar, retornou ao trabalho presencial na segunda onda. Ele atesta que a condução das questões da segurança está sendo realizada com bastante critério e responsabilidade nas instalações da Unidade Fundão. “É perceptível a responsabilidade do Cepel para com as questões de segurança, tanto na hora da testagem para Covid-19, quanto no que diz respeito à sinalização do ambiente e disponibilização de álcool em gel e equipamentos de proteção individual. Membros da minha equipe, por exemplo, estão trabalhando com face shield em laboratório. A adaptação do restaurante também foi muito bem feita, possibilitando o distanciamento necessário para que possamos almoçar em segurança”.

 

Márcia Cristina Rosa do Nascimento, técnica do Laboratório de Diagnóstico em Equipamentos e Instalações Elétricas, também retornou na segunda onda. Ela afirma que as medidas adotadas estão adequadas e frisa o pronto atendimento às suas necessidades. “Toda as vezes em que pedi reposição de álcool em gel fui atendida rapidamente, mesmo sendo em dispensers dos corredores. Também solicitei álcool liquido e flanela para o laboratório e fui atendida. A sinalização interna e nos transportes também estão claras”.

 

O pesquisador Alberto Junqueira, chefe do Departamento de Laboratórios do Fundão, também faz uma avaliação do momento de retorno. “Quando migramos para o teletrabalho, enfrentamos uma situação totalmente nova, em que tivemos que aprender a lidar com uma realidade totalmente diferente daquela que estávamos acostumados, nos adaptando a ela. Já no retorno, mesmo sabendo se tratar de um ‘novo normal’, a expectativa era retornar para uma rotina próxima da antiga, o que na prática ainda não aconteceu. É uma situação que gera certa ansiedade. Às vezes, frustração. Mas por outro lado é gratificante poder contribuir para esta retomada do trabalho presencial. O cuidado que as equipes da área administrativa vêm tendo com cada detalhe para que possamos executar nossas atividades técnicas aqui no Cepel é algo a ser destacado”.

 

“Acredito que o Cepel disponibilizou todo o aparato que se tem disponível hoje em relação às medidas preventivas ao COVID. Medição de temperatura, máscaras, protetor facial, álcool em gel, além da testagem a cada 15 dias. Esse retorno bem gradual dos funcionários também tem ajudado a nos adaptar com mais tranquilidade às necessidades de mudanças comportamentais”, avalia a pesquisadora Fernanda Figueiredo Martins dos Santos, do Departamento de Laboratórios do Fundão, que retornou na segunda onda.

 

Permanecem suspensos, por tempo indeterminado, os treinamentos e eventos presenciais nas instalações do Centro, bem como as visitas e reuniões com participantes externos.

 

A próxima onda de retorno ao trabalho presencial está prevista para 08 de setembro. Assim como nas etapas anteriores, será realizada uma avaliação prévia da área de saúde do Cepel, do enquadramento de empregados em aspectos sociais e da evolução da pandemia no Rio de Janeiro. Além disso, serão realizados ajustes pontuais no Plano de Retorno.