• VOLTAR
  • Imprimir
  • ENVIAR
  • A+ A-
Em treinamento online, Cepel apresenta fundamentos para inspeção de pintura anticorrosiva

Detalhes: Notícias

Em treinamento online, Cepel apresenta fundamentos para inspeção de pintura anticorrosiva

17-12-2020

Apresentar boas práticas em serviços de pintura anticorrosiva, contribuindo para que as empresas do setor elétrico lidem de forma mais bem-sucedida com a corrosão: um processo que pode afetar diretamente a vida útil de seus ativos e gerar custos de diferentes magnitudes. Assim como nas edições anteriores, este foi o objetivo da versão online do curso “Fundamentos de Inspeção de Pintura Anticorrosiva”, promovido pelo Cepel, entre 08 e 11 de dezembro. Ministrado anualmente pelo Centro, o curso é embasado nas Normas Eletrobras de Pintura Anticorrosiva, lançadas em 2016 sob coordenação do Cepel, sendo bastante procurado por profissionais do setor elétrico brasileiro em busca de capacitação na área.

 

O pesquisador Alberto Ordine, responsável pelo Laboratório de Corrosão do Cepel, afirma que, de fato, o curso tem-se mostrado bastante útil às equipes de manutenção, de engenharia, de projetos e de licitação de empresas do setor elétrico. “As Normas Eletrobras, atualmente em sua segunda edição, além de serem uma referência de requisitos técnicos importantes para a pintura anticorrosiva, podem ser utilizadas como instrumentos de garantia da qualidade no momento de contratação dos serviços. O curso proporciona este conhecimento aos participantes, numa linguagem acessível, sabendo que nenhum deles é especialista na área. E, como resultado, os profissionais das empresas ficam mais atentos à forma adequada de evitar a corrosão, seja em obras novas ou de manutenção ”, ressalta.

 

De acordo com Alberto, foi um desafio adequar o conteúdo de aulas presenciais para o formato virtual e manter o interesse e motivação dos participantes. Ele explica que os slides precisaram ser condensados e foram produzidos vídeos para substituir demonstrações práticas que seriam realizadas presencialmente. “Além disso, elaboramos as Trilhas de Aprendizagem, formulários de avaliação do conteúdo apresentado em cada dia, para que o próprio participante pudesse perceber como estava absorvendo os conhecimentos e direcionasse seus estudos. Tivemos, ainda, as tardes (com exceção do último dia) dedicadas à Monitoria, quando, além de tirarmos dúvidas, discutíamos casos reais de problemas de corrosão levantados pelos participantes, o que enriqueceu tecnicamente o curso”.

 

Além de Alberto, atuaram como instrutores do curso os pesquisadores Elber Bendinelli e Cristina Amorim. Eles contaram com o apoio de Victor Freitas de Jesus, integrante da equipe que ficou responsável pela parte tecnológica e organizacional da atividade. Eles afirmam ter sido um curso bem focado no aprendizado e em tirar o máximo proveito do conteúdo técnico, usando as ferramentas virtuais disponíveis para que os alunos consolidassem seus conhecimentos, o que, no formato presencial, seria feito por meio de aulas práticas. “Temos pontos a melhorar, mas, no balanço geral, em uma análise crítica do trabalho que produzimos, conseguimos alcançar o objetivo do curso também neste formato. Os participantes começaram mais tímidos e, no último dia, estavam muito mais participativos”, assinalam.

 

Frederico Cesarino, engenheiro de manutenção mecânica da Amazonas GT, Associada Especial do Cepel, teve a oportunidade de fazer as edições presencial e online do curso. Ele tece considerações a respeito: “Em 2019. tive a oportunidade de fazer o minicurso de corrosão, ministrado pelos Doutores Alberto e Cristina aqui em Manaus. Fiquei tão maravilhado com o treinamento, que decidi escrever um artigo sobre a melhor utilização de tintas em transformadores, visando ao maior aproveitamento de sua carga nominal. Este artigo foi aceito para ser apresentado no SCSE 2020, que, infelizmente, foi adiado para 2021 por conta da pandemia. Quando soube do curso FIPA 2020, imediatamente solicitei minha inscrição à Gerência imediata [...] Os conhecimentos adquiridos nesta edição do curso são essenciais para o bom andamento de meu trabalho. Ao inspecionar linhas de transmissão, por exemplo, a partir da agora já tenho a expertise inicial para analisar as estruturas próximas ao solo, visando à prevenção de corrosão e falhas. Também posso utilizar meus conhecimentos na análise de várias outras estruturas e equipamentos de geração e transmissão de energia elétrica”.


O engenheiro Dalmo Pacheco de Souza, da Divisão de Engenharia de Manutenção de Linhas de Transmissão da CGT Eletrosul, Associada Fundadora do Cepel, também avalia a experiência como bastante positiva e afirma que o conhecimento adquirido no curso será útil para várias atividades relacionadas a seu trabalho. “Será útil para o acompanhamento de manutenção de ativos com corrosão e recuperação dos mesmos; elaboração de especificação técnica para contratação de serviços de pintura; fiscalização de obras com etapas de pintura em equipamentos, em especial nas estruturas de linhas de transmissão; para o orçamento de tintas e acessórios de medição e avaliação de serviços de pintura; e elaboração de pareceres e artigos técnicos sobre corrosão e pintura anticorrosiva”.


Participaram do curso 47 profissionais das empresas Amazonas GT, CGT Eletrosul, Chesf, Furnas, Eletronuclear, Cemig, Energisa e STN - Sistema de Transmissão Nordeste. Desde 2014, a equipe de Corrosão do Cepel já capacitou 329 profissionais para atuarem na área.