• VOLTAR
  • Imprimir
  • ENVIAR
  • A+ A-
Cepel realizará ensaios de compatibilidade eletromagnética até 1 GHz em lâmpadas e luminárias LED

Detalhe: Notícias

Cepel realizará ensaios de compatibilidade eletromagnética até 1 GHz em lâmpadas e luminárias LED

20-02-2019

A partir do segundo semestre deste ano, o Laboratório de Iluminação do Cepel (MA8) estará capacitado a realizar ensaios de compatibilidade eletromagnética até 1 GHz em lâmpadas e luminárias LED. Para atender a esta faixa de frequência, o Centro adquiriu uma célula GTEM (Gigahertz Transverse Electromagnetic), como explica a pesquisadora Alessandra Barbosa, responsável pelo MA8.

 


“A versão internacional da norma IEC CISPR 15:2018 – Limits and methods of measurement of radio disturbance characteristics of electrical lighting and similar equipament foi revisada em junho de 2018, com alterações significativas, ampliando a faixa de frequência dos ensaios de lâmpadas e luminárias LED de 300 MHz para 1 GHz. Isto gerou a necessidade de comprarmos uma célula GTEM [sem eco], pois para a nova faixa de frequência, os ensaios devem ser realizados neste equipamento ou em uma câmara anecóica, que possui custo mais elevado”, assinala a pesquisadora.

 


No Brasil, apenas laboratórios especializados em compatibilidade eletromagnética possuem câmaras anecóicas e estão capacitados a realizar estes ensaios. Dentre os laboratórios especializados em Iluminação, o Cepel será um dos pioneiros a ser acreditado pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) para este tipo de ensaio.

 


Compatibilidade eletromagnética

 


Ensaios de compatibilidade eletromagnética são realizados para avaliar a capacidade dos equipamentos eletroeletrônicos de operarem normalmente sem causar interferência eletromagnética em outros equipamentos próximos, bem como não terem seu funcionamento alterado por perturbações eletromagnéticas presentes em um ambiente.

 


A utilização de equipamentos eletroeletrônicos na área de iluminação cresceu muito nos últimos anos. Casos recentes mostraram que uma simples lâmpada de LED a poucos quilômetros de distância é capaz de interferir no espectro eletromagnético das redes de telefonia e banda larga, bem como no controle e operação dos aeroportos.

 


“Daí a importância da Portaria n° 389, de 25 de agosto de 2014 e da Portaria n° 20, de 15 de fevereiro de 2017, ambas do Inmetro, que tornaram a avaliação da compatibilidade eletromagnética obrigatória para lâmpadas de LED com dispositivos de controle integrados à base e luminárias públicas viárias, respectivamente”, assinala Alessandra.

 


Célula GTEM


De acordo a pesquisadora, os ensaios na faixa de frequência de 1 GHz devem ser realizados dentro de câmaras anecóicas ou célula GTEM para evitar que os campos elétricos externos penetrem e interfiram nas medidas e também para evitar reflexões dos campos emitidos pelo equipamento em teste, interferindo nas medidas.

 


“A célula GTEM simula ondas eletromagnéticas no espaço livre e produz um campo magnético uniforme na região interna, onde são colocados os equipamentos em teste, permitindo não só a avaliação de interferência, como também de susceptibilidade na faixa de frequência de poucos Hz até 6 GHz, capacidade da nossa célula GTEM”, esclarece a pesquisadora.

 


Revisão da ABNT NBR IEC/CISPR 15:2014

 


Alessandra participou do processo de revisão da norma brasileira equivalente à IEC CISPR 15:2018, na Comissão de Estudo CE-003.077 da ABNT/Cobei. “A revisão da ABNT NBR IEC/CISPR 15:2014 –‘Limites e métodos de medição das radioperturbações características dos equipamentos elétricos de iluminação e similares’ já foi enviada para análise da ABNT e estima-se que seja colocada em consulta pública no primeiro semestre deste ano”, conclui.