• VOLTAR
  • Imprimir
  • ENVIAR
  • A+ A-
Cepel e Cutsforth fecham acordo para comercialização de soluções tecnológicas na área de monitoramento de ativos de geração

Detalhes: Notícias

Cepel e Cutsforth fecham acordo para comercialização de soluções tecnológicas na área de monitoramento de ativos de geração

06-11-2020

O Cepel acaba de firmar um acordo com a americana Cutsforth, provedora de tecnologia e serviços para suporte à indústria de geração de energia elétrica. Pelo acordo, o Cepel fornecerá licença para interface de programação de aplicativos (API) de monitoramento de descargas parciais para integração com software desenvolvidos pela empresa americana. Já a Cutsforth se compromete a adquirir 20 licenças da API e a comercializar as soluções integradas. O sucesso da parceria com a Cutsforth, sediada no estado de Minnesota e com clientes importantes nos Estados Unidos, Canadá e outros países, pode significar a comercialização de dezenas de licenças da API a cada ano, um negócio que tem potencial para gerar, anualmente, uma receita entre R$ 340 e R$ 700 mil, ao câmbio atual.

 

Para o diretor-geral do Cepel, Amilcar Guerreiro, o acordo entre o Centro e a Cutsforth é mais um elemento que evidencia a consolidação do Cepel como provedor de soluções inovadoras para o setor elétrico. “É também uma evidência do movimento na direção de sua internacionalização, conforme discutido no workshop ‘Inova Cepel’, realizado em outubro de 2019, com a participação de vários stakeholders da área de ciência e tecnologia”, complementa.

 

A API foi desenvolvida pelo Cepel como parte do sistema IMA-DP (Instrumentação para Monitoramento e Análise de Descargas Parciais) e constitui tecnologia inovadora para monitorar o desempenho de equipamentos de alta tensão em operação em um sistema elétrico. A solução, inclusive, já obteve reconhecimento internacional ao ser premiada no concurso de inovação tecnológica Global Engineering Impact Awards, promovido pela National Instruments, importante provedor global de sistemas de teste, automação e monitoramento da condição. A premiação ocorreu em 2018, em Austin, Texas, quando a API foi apresentada pelo pesquisador do Cepel André Tomaz de Carvalho, integrante da equipe de desenvolvimento do IMA-DP.

 

De acordo com André Tomaz, a integração da API desenvolvida pelo Cepel e do software da Cutsforth pode resultar, por exemplo, em uma “solução embarcada” em sistemas da National Instruments para o monitoramento e o diagnóstico preditivo de sistemas isolantes em geradores e grandes motores industriais. A solução apresenta potencial de impactar fortemente o mercado de sistemas monitoramento, pois possui uma eficácia comprovada repetidas vezes por empresas do setor elétrico brasileiro, além de um custo significativamente reduzido em relação aos sistemas tradicionalmente empregados.

 

Resultados no Brasil

 

O pesquisador do Cepel Helio Amorim, gerente do projeto IMA-DP, corrobora os resultados expressivos obtidos por meio do uso e implementação do IMA-DP no setor elétrico nacional, especialmente nas empresas Eletrobras, como Furnas, Eletronorte, Eletronuclear e mais recentemente Itaipu Binacional. “Estimamos que o projeto, e as ações adotadas a partir de sua utilização, tenham gerado uma economia direta, considerando os custos evitados quando da ocorrência de uma falha, de aproximadamente R$ 50 milhões de reais nos últimos 10 anos”, destaca.

 

Helio também comenta sobre a importância do domínio tecnológico para o Brasil. “Cremos que o domínio tecnológico é uma das principais formas de tornar um país realmente rico, e, de certa forma, o IMA-DP faz isso há mais de 10 anos. Realizamos cursos e repassamos conhecimento para inúmeros profissionais pelo país, potencializando o uso do monitoramento por descargas parciais nas empresas, com um valor agregado muito alto, porém difícil de ser mensurado. Hoje, podemos contabilizar mais de 3 mil equipamentos monitorados, entre os mais importantes do setor elétrico, como, por exemplo o maior gerador elétrico do país, de 1350 MW de potência instalada, pertencente à Eletronuclear, e em uso na Usina Nuclear de Angra 2. Mesmo assim sabemos que o uso do IMA-DP pode ser potencializado a partir de ações como as que foram estabelecidas no contrato com a Cutsforth. Certamente isso nos trará ainda mais visibilidade nacional e, também, internacional”.



André complementa: “Trata-se de um marco muito importante não só para o projeto IMA-DP, mas acredito que também para o Cepel. Por meio do contrato de fornecimento desta API, o Centro está, de fato, exportando tecnologia brasileira para o resto do mundo, a começar pelos Estados Unidos e Canadá. O fato de o Canadá, que na década de 1980 iniciou o monitoramento online de descargas parciais em geradores, estar adquirindo agora o nosso produto é algo que traduz um grande reconhecimento, uma importante conquista e é mais um motivo de orgulho para todos nós pesquisadores”, ressalta.

 

O contrato entre Cepel e Cutsforth terá validade de seis anos, prorrogáveis por mais quatro.