• VOLTAR
  • Imprimir
  • ENVIAR
  • A+ A-
AAEXP - Avaliação Ambiental Estratégica para o Planejamento da Expansão da Geração

Apresentação
O planejamento da expansão de sistemas de geração, transmissão e distribuição de energia elétrica demanda avaliações ambientais de caráter estratégico, com a incorporação da dimensão ambiental como variável no processo decisório. Neste sentido, destaca-se o desenvolvimento de metodologias para incorporação da dimensão socioambiental no planejamento de sistemas elétricos.
 
No caso brasileiro, o planejamento governamental tem sido realizado por meio de uma sequência de estudos, coordenada pelo Ministério de Minas de Energia (MME), nos Planos de Expansão. Tal sequência está estruturada em estudos de longo prazo (Matriz Energética e Plano Nacional de Energia) e de curto prazo (Plano Decenal de Expansão e Monitoramento da Expansão).
 
O AAEXP é um projeto voltado para o desenvolvimento de ferramentas visando à avaliação ambiental de planos de expansão de geração, tendo como referencial metodológico os pressupostos da Avaliação Ambiental Estratégica (AAE), adequados na avaliação de impacto como suporte à decisão no nível de políticas, planos e programas. Dessa forma, os impactos sinérgicos e cumulativos, inter-setoriais, regionais e globais são analisados de modo mais adequado e integrado.
 
No passado foram desenvolvidos, no âmbito do projeto, metodologias como a que foi proposta para avaliação socioambiental do Plano Decenal de Energia em edições anteriores, além de uma metodologia para definição de índice de impacto socioambiental de referência para a expansão da capacidade de geração do Sistema Interligado Nacional (SIN), visando à sua aplicação à energia de complementação das alternativas de divisão de quedas em estudos de inventário hidroelétrico.
 
Atualmente o projeto se subdivide em três projetos agregados: desenvolvimento de métricas de impacto sociambiental de fontes de energia elétrica para inserção em modelos de planejamento de longo prazo; metodologia de avaliação da criticidade ambiental e socioeconômica de projetos eólicos e Modelo Ambientrans: metodologia para minimização dos impactos socioambientais relativos a implantação de empreendimentos de
transmissão.
 
Visando ampliar o escopo das análises de expansão de sistemas energéticos no modelo MATRIZ dentro da abordagem multiobjetivo, o projeto “métricas de impacto socioambiental de fontes de energia elétrica para inserção em modelos de planejamento de longo prazo” busca selecionar as questões socioambientais, consideradas relevantes em estudos de planejamento de longo prazo de sistemas energéticos e propor formas para sua implementação no modelo, incorporando a variável socioambiental como critério para o planejamento de longo prazo.
 
A metodologia para Avaliação da Criticidade Local de Empreendimentos de Energia Eólica tem como objetivos avaliar os potenciais impactos positivos e negativos de aproveitamentos eólicos para localidades brasileiras com base em informação primária de campo, delineando assim os principais drivers de aceitação ou de não aceitação da tecnologia; e desenvolver uma metodologia para minimização dos impactos negativos e potencialização dos ganhos locais de aproveitamentos eólicos, considerando as esferas ambiental, econômica e social, o que pode reduzir atrasos e conflitos entre os diferentes agentes envolvidos na atividade.
 
Para o desenvolvimento da ferramenta Ambientrans a metodologia utilizada está baseada na utilização de ferramenta do geoprocessamento, estando pautada na minimização dos impactos negativos e na consideração dos principais aspectos técnicos construtivos no processo de formulação, avaliação e seleção de alternativas de corredores de linhas de transmissão. Toma como base o método de superposição de cartas temáticas, onde cada tema corresponde a um aspecto ou a um conjunto de aspectos selecionados que representam restrições ou pontos/áreas de atração para a passagem de linhas de transmissão.
 
Figura: Três Alternativas de Corredor Utilizando Diferentes Critérios

 

Na figura apresentada, a ferramenta AMBIENTRANS foi utilizada privilegiando diferentes critérios. A alternativa verde privilegia o paralelismo com linhas de transmissão existents; a alternativa azul privilegia a proximidade com as vias existentes e a alternativa vermelha privilegia o uso do solo predominante.
Contato

Entre em contato com a área responsável através do e-mail:


 aaexp@cepel.br