• VOLTAR
  • Imprimir
  • ENVIAR
  • A+ A-
Notícias

Detalhes: Notícias

Programa computacional NH2, desenvolvido pelo Cepel, permite avaliação da confiabilidade da geração e da transmissão

15-10-2019

O Cepel realizou, no início de outubro, o treinamento no programa computacional NH2, voltado à avaliação da confiabilidade probabilística ou determinística da geração e da transmissão de sistemas hidrotérmicos de grande porte. O programa é licenciado por entidades setoriais, como Operador Nacional do Sistema (ONS) e Empresa de Pesquisa Energética (EPE), diversas empresas e consultorias do setor elétrico nacional e, em sua versão acadêmica, por mais de 100 instituições.

 


“Os sistemas elétricos de potência têm por finalidade última suprir a demanda por energia elétrica de seus usuários e consumidores, do modo mais econômico e confiável possível. Com o passar dos anos, a sociedade tem exigido níveis cada vez mais elevados de confiabilidade, na expectativa de um atendimento contínuo, sem interrupções. Contudo, o sistema está sujeito a falhas aleatórias, fora do controle dos responsáveis por sua operação e planejamento. Na tentativa de solucionar este dilema entre economia e confiabilidade, foram desenvolvidos, então, critérios e técnicas de planejamento, operação e projeto”, assinalam os pesquisadores Tiago Santana do Amaral e Fabiola Clement Veliz, instrutores do curso.

 


Neste contexto, o programa NH2 destina-se a avaliações de confiabilidade da geração, transmissão e composta, ou seja, ambas ao mesmo tempo, permitindo o cálculo de índices de confiabilidade, como a probabilidade de perda de carga e a energia não suprida, que possibilitam a comparação entre diferentes alternativas de planejamento de expansão e da operação do ponto de vista da confiabilidade.

 

Um dos destaques é a solução automática de contingências e a análise de aderência ao critério "N-1", utilizado no planejamento e operação das redes de transmissão. A interface gráfica do programa permite a geração automática de casos de confiabilidade através da importação de um arquivo histórico do programa ANAREDE e inclusão de dados típicos de confiabilidade do sistema brasileiro.

 


Tiago e Fabiola ressaltam que, tradicionalmente, a maior parte dos critérios usados na operação e planejamento do Sistema Interligado Nacional (SIN) é puramente determinística, a exemplo do critério N-1. “Tais critérios são incapazes de representar adequadamente a aleatoriedade do estado dos componentes de qualquer sistema complexo”, comentam.

 


Novas funcionalidades

 


No decorrer do treinamento, foram apresentadas novas funcionalidades do NH2, a exemplo da modelagem de falhas de modo comum. “Essa funcionalidade permite representar a falha conjunta de dois circuitos com reparo simultâneo ou não. Essas falhas são incluídas tanto na Enumeração de Estados, quanto na Simulação Monte Carlo e são úteis para modelar casos em que o desligamento de uma linha de transmissão decorre, por exemplo, de uma falha em outra linha”, explicam Tiago e Fabíola.

 


Além disso, o programa NH2 pode alterar rapidamente um grande conjunto de dados de listas de contingências, região de monitoração e região de controle através do novo menu de “Ações”.

 


Os pesquisadores acrescentam que o NH2 já é usado oficialmente pela empresa ANDE, do Paraguai, e que a expectativa é expandir sua utilização para outros países.