• VOLTAR
  • Imprimir
  • ENVIAR
  • A+ A-
Notícias

Detalhes: Notícias

Cepel realiza intensa série de treinamentos no sistema IGS 2.0, ferramenta estratégica para gestão de sustentabilidade empresarial

06-08-2020

Cerca de 200 profissionais das áreas de Meio Ambiente e Infraestrutura das empresas Eletrobras participaram de treinamentos online no sistema IGS 2.0, desenvolvido pelo Cepel, somente entre abril e junho deste ano. A nova versão do sistema, que traz como novidade a incorporação da dimensão ambiental, foi lançada no início de 2020, sendo uma plataforma completa para a gestão de indicadores de sustentabilidade, capaz de auxiliar, ainda mais, as empresas no acompanhamento de metas e tomada de decisões. Novas edições do treinamento deverão acontecer ao longo do ano. A gerente do projeto IGS, a pesquisadora do Cepel Katia Cristina Garcia, comenta a respeito da nova versão do sistema e sua aplicabilidade.

 

"Com a incorporação da Dimensão Ambiental no Sistema 2.0 tivemos um aumento significativo do número de usuários do Sistema, por isso foi extremamente importante oferecer o treinamento de maneira ampla, ainda que virtualmente. Hoje temos um total de 926 usuários ativos no Sistema IGS 2.0, sendo que destes, 348 são gestores da Dimensão Ambiental das Empresas do Sistema Eletrobras, e respondem por 389 unidades operacionais cadastradas no Sistema, sendo responsáveis por analisar e validar os 231 indicadores utilizados para reportar interna e externamente o desempenho ambiental da Eletrobras. Já na Dimensão Empresarial temos 182 gestores, analisando e validando 61 indicadores. Assim, o Sistema de Indicadores de Gestão de Sustentabilidade (IGS) é simultaneamente, um pilar importante dos Sistemas de Gestão Ambiental e de Gestão de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras”, destaca Katia.

 

O sistema IGS 2.0 permite a inclusão de indicadores de todas as dimensões da sustentabilidade - ambiental, social, econômico-financeira, governança corporativa e eficiência energética. Bastante difundido nas empresas Eletrobras, o sistema é uma ferramenta estratégica para a gestão de indicadores dos Relatórios Anuais de Sustentabilidade e dos Inventários de Emissões de Gases de Efeito Estufa das companhias. Também facilita bastante nas respostas aos questionários dos índices de sustentabilidade das bolsas de valores ISE/Bovespa e DJSI. Além disso, viabiliza a gestão de indicadores relativos ao Contrato de Metas de Desempenho Empresarial (CMDE), ao Plano de Desenvolvimento, Negócio e Gestão das Empresas Eletrobras (PDNG) e à Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável.

 

Multifuncionalidades

 

De acordo com a engenheira química do Departamento de Meio Ambiente para Expansão da Chesf, Ana Claudia Santana de Almeida, usuária do sistema IGS desde 2010, o sistema permite que a Chesf monitore, periodicamente, seu desempenho de sustentabilidade empresarial, estabelecendo estratégias, planos e metas que contribuam para que a empresa seja mais eficiente no conhecimento e no controle dos impactos das suas operações, otimizando o uso de recursos. “O IGS 2.0 é, também, a principal fonte de fornecimento de dados ambientais para os relatórios que a Chesf elabora e para os questionários a que submete suas respostas, acrescenta.”

 

Em relação à dimensão ambiental, Ana Claudia destaca que a integração das variáveis da dimensão ambiental com as das demais dimensões da sustentabilidade permite que os indicadores sejam calculados com maior agilidade, facilitando o acompanhamento de sua evolução, o que contribui para a tomada de decisões, visando à melhoria do desempenho ambiental da empresa. “Acredito que esta nova versão, por ser mais intuitiva e amigável, vai impulsionar a utilização do sistema na Chesf, aumentando, assim, a cobertura de dados e sua confiabilidade, possibilitando uma melhor gestão ambiental na empresa”, complementa.

 

Eduardo Hatherly Vilas Boas, geógrafo da Gerência de Estudos e Integração Ambiental de Furnas e usuário do IGS desde 2012, assinala que o sistema é a principal ferramenta de gestão de aspectos ambientais operacionais da empresa e, recentemente, tornou-se imprescindível para o monitoramento de variáveis de desempenho empresarial e de sustentabilidade. Quanto à incorporação da dimensão ambiental, pontua: “o principal destaque é a interatividade/dinâmica aperfeiçoada para os níveis de respondente e gestor de indicador, incluindo, nesse aspecto, a melhoria na apresentação de relatórios”.

 

Para o advogado Luis Marcello Bullé Chipp, assistente da Diretoria Geral do Cepel, que utiliza o sistema IGS desde o final do ano passado, a ferramenta facilita muito a formulação dos relatórios de sustentabilidade a serem elaborados por todas as empresas do grupo Eletrobras.“Utilizo principalmente a funcionalidade de compliance, que ajuda as empresas a gerirem seus dados. Além disso, uma vez com o relatório preenchido, a área de compliance pode aperfeiçoar seus procedimentos internos, ajustar possíveis rotas e prever melhorias para aumentar sua performance”.

 

Já a engenheira civil Fabiana Lanzillotta da Fonseca, da Atividade de Manutenção Predial do Cepel, comenta sobre a praticidade de o sistema armazenar diversas informações de um determinado empreendimento. Respondente, desde 2018, das variáveis de distribuição de água e esgotamento sanitário da Unidade Fundão do Centro, ela afirma que, por meio de uma análise histórica, o IGS possibilita a visualização das mudanças ao longo do tempo. “A partir das variáveis de água, por exemplo, é possível verificar a quantidade mensal consumida, o que proporciona uma análise dos resultados quanto à quantidade de água que vem sendo economizada, ou não, no decorrer dos meses. Da mesma forma, é um ambiente que possibilita a armazenagem de dados e o registro de observações sobre eventos e técnicas aplicadas que caracterizam os valores informados”, frisa.

 

Fabiana acrescenta que, na versão 2.0 do IGS, é possível identificar, com mais facilidade, as variáveis pertencentes ao respondente por meio do fluxograma apresentado na página inicial. “Além disso, o preenchimento das variáveis, principalmente as mensais, tornou-se mais claro a partir do novo formato de visualização, onde podem ser observados os valores dos meses anteriores e posteriores de forma mais simplificada”, finaliza.

 

Um sistema customizável a qualquer empresa

 

Embora ainda de uso restrito das empresas Eletrobras, o IGS 2.0 pode ser usado por empresas de diferentes setores. A ferramenta é totalmente customizável, imprimindo maior flexibilidade no armazenamento de dados, na periodicidade de coleta de variáveis e indicadores, nos processos de homologação e nos tipos de variáveis a serem cadastradas no sistema, tanto em termos qualitativos, quanto quantitativos. Sendo assim, o sistema possibilita a sistematização e o monitoramento dos dados coletados e maior confiabilidade nas informações disponibilizadas. A segurança da informação é assegurada pela criptografia do sistema.



A equipe do projeto IGS é composta pelos colaboradores do Cepel Katia Cristina Garcia, André Emanuel Quadros, Luciana Rocha Leal da Paz, Denise Ferreira de Matos, Alexandre Mollica Medeiros, Fábio Lares, Flávia Lares, Juliano Lucas Souza de Abreu e Valdir C. Ramos, que se revezam para ministrar os treinamentos.


Se sua empresa tem interesse em mais informações sobre o Sistema IGS 2.0, entre em contato com a equipe do projeto  por meio do email igs@cepel.br.