• VOLTAR
  • IMPRIMIR
  • ENVIAR
  • A+ A-
Notícias

Notícias

Ex-bolsista do Cepel desenvolve projetos de supercondutividade com Simulação em Tempo Real (Power Hardware in the Loop) na Alemanha

18-08-2017

 

Ex-bolsista do Cepel, o pesquisador Wescley T. B. de Sousa atua hoje em uma das maiores instituições de supercondutividade do mundo, o Instituto de Física Técnica (ITEP) no Instituto de Tecnologia de Karlsruhe (KIT), na Alemanha. Físico, com doutorado em Engenharia Elétrica, Wescley integra a equipe responsável pelo desenvolvimento de equipamentos supercondutores para aplicação em sistemas de energia em geração, transmissão, distribuição e proteção de sistemas de potência. Trabalho que iniciou no Cepel.

Wescley lembra que começou a desenvolver os modelos de simulação para Limitadores de Corrente de Curto Circuito Supercondutores (SFCL) no Centro quando ainda era bolsista de mestrado no Laboratório de Supercondutividade do então Departamento de Tecnologias Especiais (DTE), hoje Departamento de Materiais, Eficiência Energética e Geração Complementar (DME). Concluiu esse trabalho 6 anos depois, no encerramento da sua tese de doutorado, em 2015.
“Os resultados dos modelos que eu desenvolvia eram sempre confrontados com os de ensaios de curto-circuito, realizados no Laboratório de Altas Correntes, da Unidade Adrianópolis. Por meio das inúmeras comparações entre resultados computacionais e experimentais, foi possível desenvolver um modelo que hoje é considerado benchmarking para simulação de dispositivos SFCL”, recorda.
Atualmente, esses modelos ainda estão presentes em sua rotina de trabalho, mas de modo diferente. “Atualmente estes modelos estão sendo implementados em equipamentos de Simulação em Tempo Real (Power Hardware in the Loop), o que irá permitir que se investigue como um sistema de potência pode ser afetado e protegido pela atuação de um SFCL. Uma das minhas atividades é fazer a inserção do modelo matemático  de dispositivos supercondutores dentro do simulador, já que eles não são comuns em softwares de simulação tradicionais. Num futuro próximo, pretendemos também desenvolver modelos para cabos e transformadores supercondutores para simulações em tempo real”, explica.

O pesquisador também conta que foi no Cepel que ele encontrou espaço fértil para conduzir sua investigação e seus primeiros testes. “Foi no Cepel, que eu desenvolvi e adquiri maturidade para a pesquisa. Devido à infraestrutura oferecida, foi possível conduzir ensaios que não poderiam ser feitos em nenhum outro laboratório da América Latina”, afirma.
O ex-bolsista ainda ressalta a bagagem dos profissionais do Cepel. “Encontram-se no Centro pesquisadores com larga experiência em suas respectivas áreas de atuação, possibilitando discussões de alto nível intelectual, que me levaram à solução de diversos tipos de problemas encontrados ao longo dessa jornada”, relembra.
Para o pesquisador Alexander Polasek, do DME, que orientou Wescley no período em que este era bolsista, “este trabalho representou uma grande contribuição para as atividades de P&D do Cepel em limitadores de corrente supercondutores, no âmbito do Projeto ’Pesquisa de Limitadores de Corrente de Curto-Circuito Supercondutores (LCSC)’, da Carteira de Projetos Institucionais para as empresas do Grupo Eletrobras. Os modelos desenvolvidos ao longo da pós-graduação do Wescley não só permitem investigar o comportamento eletrotérmico e não linear destes dispositivos, como também realizar estudos de caso, simulando a atuação de SFCLs na rede elétrica”, explicou Polasek.
Durante o mestrado e o doutorado, Wescley também foi orientado pelo professor Rubens de Andrade Junior, do Programa de Engenharia Elétrica da Coppe/UFRJ.